sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Aqueles dois




Repartição:
Deserto de almas!
Aqueles dois se achegam
Unem-se num repente
Diferentes de toda a gente:
Altos, altivos
Moreno e loiro
Casamento e noivado
Tudo fracassado.

Aqueles dois
Mesmo concurso,
Mesma firma!
Mesmos gostos,
Atiçando a sina.

Aqueles dois
Trabalho, café
Telefone...
Quarto.
Amizade constituída
Mas no ar,
Alguma ferida
Envolvimento
Sem assumir o fato.

Aqueles dois
Dois e quatro:
Raul, Saul,
Van Gogh, Gardel
Felicidade, infelicidade.

Tarde de agosto
Deserto de almas
Mediocridade, repressão
Preconceito
O adeus à repartição,
Deixa no rastro a solidão
Solidão pra quem fica
Porque quem vai, vai!
Já que “Tú me acostumbraste”.



*** Releitura do conto AQUELES DOIS de Caio Fernando Abreu (proposto pela professora Martha Silva - Leituras Orientadas)

2 comentários:

Teresa disse...

Adorei! Adoro esse conto, e a tua releitura ficou triiii!
Bjocas,
Tere.

Karen Drago disse...

Bah, Teresa! Obrigada... ^^